top of page

Vai haver rabanadas à mesa este Natal?


Eis as 5 dicas da Chefe para surpreender toda a gente com as mais saborosas

Fã de rabanadas? Fofas e estaladiças. Daquelas que ainda são melhores no dia seguinte! Nós também. Claro que o ideal era mesmo vir provar as nossas. Mas, nem que seja por desafio, resolvemos partilhar as dicas da Chefe Fernanda para uma rabanada de sonho.


Com esta, é certo que faça um brilharete lá em casa este Natal. Fique para ler. E aprender.



Primeiro truque: escolher o pão certo

Pão fresco não é a solução ideal para uma rabanada de sonho. Sabe porquê? O pão fresco, porque ainda está fofo, tem tendência para absorver demasiado óleo ou azeite na altura da fritura. Ninguém quer uma rabanada mole e oleosa, certo?


Quanto ao tipo de pão? Há quem use pão de cacete que muitas padarias já fazem de propósito para a época. Mas a verdade é que descobrimos que não é tão importante a qualidade do pão quanto o empenho que coloca no processo. E, tal como no bacalhau, o tempo de demolha.


Agora uma dica que não esperava de certeza: sabia que a forma como corta o pão importa?

A lógica é simples:

  • Fatias muito finas dão rabanadas mais húmidas

  • Fatias mais generosas dão rabanadas mais crocantes


Outra dica:

  • Rabanadas mais tempo na demolha de leite morno com canela tendem a ficar mais moles e húmidas

  • Rabanadas menos tempo na demolha tendem a ficar mais duras e crocantes

Como preferem aí em casa? Partilhe connosco nos comentários em baixo!


Como em tudo na vida, bons ingredientes dão excelentes resultados

Eis o truque que nunca falha. Seja numa rabanada ou num cozido à portuguesa.


E, nas rabanadas, os ovos são a estrela. Ovos caseiros, de galinhas felizes. As rabanadas ficam fofas e com uma cor saudável. Além de que o sabor, bom, não precisamos de dizer mais nada.


Outro ingrediente chave é a canela. Há dois tipos principais de canela. A Canela do Ceilão, originária do Sri Lanka e a que também chamam de verdadeira canela. Tem um sabor mais leve e aromatizado. Ou a Canela Cássia, produzida na China e Indonésia, e que normalmente encontramos nos supermercados.


Já está a ver qual a Chefe Fernanda usa nas suas rabanadas e, portanto, prefere certo?


Finalmente, os extras. Mel, usamos o do Gerês. O adoçante natural insubstituível. Escolha o aroma e intensidade que o seu palato preferir. E remate com uma boa seleção de frutos secos. Opte pelos DOP e, enquanto certifica a qualidade da sua iguaria, contribui para um ecossistema mais equilibrado. Um belo vinho do Porto também pode ser uma boa opção para regar as rabanadas de sonho que, este Natal, vão surpreender todos lá em casa.


É tempo de fritar.

Rabanada que é rabanada tem de ser frita. É uma vez no ano, mal não vai fazer.


No momento da fritura, garanta que usa a temperatura certa para evitar que as rabanadas fiquem demasiado tempo expostas. Seja incisivo. Temperatura elevada e tempo de fritura reduzido. Assim, garante que ficam crocantes por fora e fofas por dentro.


Uma dica final da Chefe: explore.

Um bom Chefe é aquele que arrisca. Às vezes, uma nova combinação nasce para criar uma experiência de sabor única. Aventure-se. Esta é a dica de ouro da Chefe Fernanda.


Raspas de laranja. Pepitas de chocolate. Vinho do Porto. Leite condensado. Para os adeptos de uma cozinha mais saudável, bebida de soja ou de amêndoa. Rabanadas no forno, em vez de fritas.


O segredo é mesmo experimentar. Sem medo.


E, no final, se dicar deliciosa como acreditamos que fique, partilhe aqui connosco. Ou nas nossas redes sociais. Quem sabe não criamos uma receita conjunta!


Feliz Natal com muitas rabanadas de sonho são os votos de toda a equipa Camelo.


E se ainda procura o espaço ideal para um jantar de Natal com o seu grupo de amigos. Ou em família, espreite aqui os nossos menus especiais para grupos.

23 visualizações

Posts Relacionados

Ver tudo
bottom of page